Ir para a Home
Sexta-Feira, 19 de Agosto de 2022

Rússia anuncia primeira vacina contra a covid-19



Rússia anuncia primeira vacina contra a covid-19

 

 

Decisão é questionada e OMS pede cumprimento de protocolos

 

O presidente Vladimir Putin anunciou nesta terça-feira (11) que a Rússia registrou a primeira vacina do mundo contra o novo coronavírus. Ele garantiu que sua filha já tomou a vacina e que ela estará disponível a partir de janeiro. A decisão é questionada, e a Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu o cumprimento dos protocolos e dos regulamentos.

 

 

O Ministério da Saúde russo deu a aprovação regulatória para o produto, desenvolvido pelo Instituto Gamaleya de Moscou, após menos de dois meses de iniciados os testes em humanos.

 

"Esta manhã foi registrada, pela primeira vez no mundo, uma vacina contra o novo coronavírus", disse Putin durante reunião com membros do governo.

 

De acordo com o presidente, o produto é "eficaz" e superou todas as provas necessárias, além de permitir uma "imunidade estável" face à covid-19. Putin garantiu também que uma das suas duas filhas já recebeu uma dose e que se está se sentindo bem.

 

"Uma das minhas filhas tomou a vacina", afirmou. "Dessa forma, ela participou da experiência. Depois da primeira vacinação, ela teve 38 graus de febre, no dia seguinte 37, e foi apenas isso".

 

A Rússia espera agora poder iniciar a aplicação em massa, mesmo que estejam ocorrendo ainda testes clínicos para comprovar a segurança da vacina. As autoridades russas já tinham anunciado que os profissionais de saúde, professores e outros grupos de risco serão os primeiros a serem imunizados.

 

A vice primeira-ministra da Rússia, Tatyana Golikova, disse que a vacina vai começar a ser administrada a profissionais de saúde, a partir de setembro, e que estará disponível ao público em geral a partir de 1º de janeiro de 2021.

 

Decisão questionada

 

Muitos cientistas, no entanto, na Rússia e em outros países, questionaram a decisão de registrar a vacina antes que sejam completada a chamada Fase 3 do estudo - que, por norma, demora vários meses, envolve milhares de pessoas e é a única forma de provar que a vacina experimental é segura e funciona.

Nas últimas semanas, muitos cientistas expressaram preocupação com a velocidade em que estava sendo desenvolvida a vacina. A Organização Mundial da Saúde pediu "diretrizes claras" para o tratamento e o cumprimento dos protocolos e dos regulamentos em vigor. 

Fonte. Agencia Brasil

Foto. Divulgação




NOTÍCIAS RELACIONADAS

SAÚDE Sec. de Saúde de Santa Terezinha realiza Workshop sobre Saúde Mental na Atenção Primária em Saúde ECENTO - A Prefeitura de Santa Terezinha de Goiás, através da Secretaria Municipal de Saúde, sediou um Workshop voltado a todos os profissionais de saúde nos dias 11 e 12 de agosto,
SAÚDE Goiânia confirma transmissão comunitária da varíola dos macacos após novos casos A Secretaria Municipal de Saúde informou que, até o momento, todos os casos são de homens, com idades entre 20 e 47 anos; nenhum paciente precisou ser internado
SAÚDE Prefeita Karla Moreira entrega ultrassom de última geração para Hospital Municipal, em Santa Terezinha CONQUISTA - A Prefeita de Santa Terezinha de Goiás, Karla Moreira, acompanhado do seu esposo Sillas Humberto, vice-prefeito, Paulo Henrique; secretária de saúde, Kenia Augusta, servidores municipais e vereadores (Carlim, Jair do Opção, André Mariano e Cid
EDIÇÃO IMPRESSA
COLUNISTAS E ARTICULISTAS


EXPEDIENTE
(62) 98310-3817 Redação
(62)99819-1345 Colunas
contato@imprensadocerrado.com.br

Praça Inácio José Campos Qd. 15-S - Centro.
CEP: 76.510-000 - Crixás - Goiás