Ir para a Home
Quarta-Feira, 17 de Agosto de 2022

Ocupação de leitos para Covid-19 começa a mostrar tendência de queda em Goiás



Ocupação de leitos para Covid-19 começa a mostrar tendência de queda em Goiás

O sistema de saúde de Goiás tem observado nas últimas semanas uma tendência de redução na demanda de leitos para tratamento de Covid-19. A baixa pode ser notada mais fortemente nas redes municipais de Goiânia, Aparecida de Goiânia e Anápolis.


Enquanto na rede de hospitais reguladas pelo governo estadual a ocupação das UTIs para Covid-19 permanece variando entre 80% e 85% há algum tempo, a ocupação nos leitos administrados pelas três maiores cidades do estado viu uma queda considerável.

 

Em Anápolis, em meados de agosto, a ocupação das UTIs chegou a 68% dos 50 leitos regulados pela prefeitura, ameaçando recolocar a cidade no cenário de risco moderado. As internações, todavia, começaram a cair e, na manhã desta segunda, 38% das UTIs municipais tinham pacientes. A queda também foi notada nos leitos de enfermaria, que superou 70% em agosto e baixou para 43% em setembro.

 

A capital também registra uma queda sustentada e paulatina, segundo os balanços divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde. No dia 20 de agosto, a ocupação estava em 73% nas UTIs e 71% na enfermaria. No boletim de domingo (6), 60% dos leitos de enfermaria e 62% das vagas para tratamento crítico estavam ocupadas.

 

O alívio sobre o sistema de Aparecida de Goiânia também vem se sustentando. Mesmo com o fim do escalonamento regional há um mês, os leitos geridos pelo município estão menos sobrecarregados. Conforme o último boletim, de domingo (6), a ocupação das UTIs da rede pública era de 61%, mantendo uma tendência de queda paulatina que começou há cerca de quatro semanas. Na rede privada, que ajusta a oferta conforme a demanda, se observa lotação total há várias semanas.

 

 

Em Rio Verde, que viveu uma crescente de casos no início de junho com um surto no setor fabril, o cenário é ainda melhor. A ocupação dos leitos públicos municipais de UTI para Covid-19 está em 25%, segundo boletim de domingo. A enfermaria tem 22% das vagas ocupadas. Os dados na cidade vêm se mantendo nesse patamar há semanas.

 

Rede estadual

A ocupação de UTIs da rede estadual ainda não observou queda sustentada, mas demonstra estabilidade entre 80% e 85%. Por outro lado, as enfermarias tiveram uma redução visível na demanda. A ocupação é de 56% na manhã desta segunda-feira, abaixo da média entre 65%-70% que se observava no fim de julho e início de agosto.


A rede estadual tem 770 leitos implantados exclusivos para o tratamento de Covid-19, entre UTIs e enfermarias, em 16 hospitais. A média de ocupação total chegou a ficar, no início de agosto, em 83%. Nos últimos dias, está flutuando entre 65% e 70%.


Algumas unidades, como o Hospital de Urgências de Trindade (Hutrin), que raramente apresenta algum dos oito leitos de UTI para Covid-19 desocupados e o HCamp de Goiânia, com apenas seis dos 86 leitos de UTI vagos vivem situação mais crítica. Por outro lado, unidades do Entorno do Distrito Federal viram um alívio nas semanas mais recentes.

 

Plano de saúde também vê redução

O presidente da Unimed Goiânia, Sérgio Baiocchi, afirmou nesta segunda-feira (7) que os dados de internação pelo plano de saúde também seguem a tendência observada no sistema público. Ele diz que há 100 hospitais contratados pela Unimed, com cerca de 600 leitos de UTI adulto na Grande Goiânia e o número de hospitalizações nunca ultrapassou uma margem de 100 a 120.


“A curva se mostra estável com uma tendência na descendente já aparecendo. Se as pessoas tomarem os cuidados devidos, estamos atravessando para tentar o encerramento desta onda de doença. Os casos moderados, que exigem enfermaria, estão caindo significativamente, enquanto a redução na UTI é menor”, afirmou à Rádio Bandeirantes Goiânia. “Estamos vendo uma tendência de queda de número de óbitos e casos”, completou.


Ocupação de leitos exclusivos para Covid-19 sob regulação estadual (consultado às 10h30 de segunda-feira, 7)

Hutrin (Trindade)
UTI – 8 leitos – 100% de ocupação
Enfermaria – 14 leitos – 42% de ocupação

Hospital Dr. Geraldo Landó (São Luís de Montes Belos)
UTI – 10 leitos – 90% de ocupação
Enfermaria – 24 leitos – 50% de ocupação

Hospital Municipal de Rio Verde
UTI – 20 leitos – 85% de ocupação
Enfermaria – *Nenhum sob gestão estadual na unidade

Hospital de Campanha de Porangatu
UTI – 15 leitos – 93% de ocupação
Enfermaria – 17 leitos – 58% de ocupação

Hospital Municipal Dr. Evaristo Vilela Machado (Mineiros)
UTI – 10 leitos – 90% de ocupação
Enfermaria – Nenhum sob gestão estadual na unidade

Hospital Regional de Luziânia
UTI – 20 leitos – 60% de ocupação
Enfermaria – 33 leitos – 54% de ocupação

Hospital das Clínicas Dr. Serafim de Carvalho (Jataí)
UTI – 10 leitos – 100% de ocupação
Enfermaria – Sem leitos exclusivos para Covid-19 na unidade

Hospital Estadual de Jaraguá
UTI – 5 leitos – 80% de ocupação
Enfermaria – 5 leitos – 100% de ocupação

Hospital São Marcos (Itumbiara)
UTI – 20 leitos – 85% de ocupação
Enfermaria – 50 leitos – 46% de ocupação

Hospital de Urgências Governador Otávio Lage (Hugol – Goiânia)
UTI – 10 leitos – 80% de ocupação
Enfermaria – 30 leitos – 100% de ocupação

Hospital de Doenças Tropicais (HDT – Goiânia)
UTI – 10 leitos – 60% de ocupação
Enfermaria – Sem leitos exclusivos para Covid-19 na unidade

HCamp Goiânia
UTI – 86 leitos – 93% de ocupação
Enfermaria – 124 leitos – 80% de ocupação

HCamp de Formosa
UTI – 4 leitos – 50% de ocupação
Enfermaria – 10 leitos – 10% de ocupação

Hospital Nasr Faiad (Catalão)
UTI – 12 leitos – 100% de ocupação
Enfermaria – Sem leitos exclusivos para Covid-19 na unidade

Huana (Anápolis)
UTI – 33 leitos – 84% de ocupação
Enfermaria – 20 leitos – 60% de ocupação

HCamp de Águas Lindas
UTI – 41 leitos – 80% de ocupação
Enfermaria – 129 leitos – 45% de ocupação

Números dos municípios

Leitos exclusivos para Covid-19 em Goiânia
UTI total: 238 leitos (62% de ocupação)
Enfermaria total: 235 leitos 60% de ocupação)

Leitos municipais exclusivos para Covid-19 em Aparecida de Goiânia
UTI rede pública: 61% – 130 leitos totais
UTI rede privada: 100%

Leitos municipais exclusivos para Covid-19 em Anápolis (consultado às 10h40 de segunda-feira, 7)
UTI total: 50 (38% de ocupação)
Enfermaria total: 80 (43% de ocupação)

Leitos municipais exclusivos para Covid-19 em Rio Verde
UTI total: 19 (25,3% de ocupação)
Enfermaria total: 25 (22,3% de ocupação)
UTI rede privada: 16 (88,8% de ocupação)
Enfermaria rede privada: 22 (68,7% de ocupação)

Fonte: Diário de Goiás

Foto: Divulgação

 
 



NOTÍCIAS RELACIONADAS

ESPORTES Em Santa Terezinha, Ecobike terá cobertura do TBC Esporte EVENTO - Representando o Grupo Ecobike, Ubirajara Ferreira e Usiel Cabral participaram do TBC Esporte 2ª Edição para divulgar e acertar a participação do programa esportivo o maior passeio ciclístico do Norte de Goiás
ESPORTES Com público após 2 anos, Stock Car prepara celebração da 70ª largada em Goiânia Capital de Goiás e uma das principais metrópoles do Brasil, Goiânia sempre foi uma praça muito importante para a Stock Car Pro Series. Presente no calendário da principal categoria do automobilismo na América Latina desde a primeira temporada, em 1979, o
ESPORTES Pirraça é a grande Campeã do torneio de Cedrolina FINAL - A Pirraça (Pilar Cruz) levantou a taça do torneio Regional do distrito de Cedrolina (Santa Terezinha), na tarde de ontem domingo (28), após vencer o Juntosport best (Itapaci) nos pênaltis por 5 a 4.
EDIÇÃO IMPRESSA
COLUNISTAS E ARTICULISTAS


EXPEDIENTE
(62) 98310-3817 Redação
(62)99819-1345 Colunas
contato@imprensadocerrado.com.br

Praça Inácio José Campos Qd. 15-S - Centro.
CEP: 76.510-000 - Crixás - Goiás