Ir para a Home
Quarta-Feira, 17 de Agosto de 2022

Polícia Civil prende suspeitos que se passavam por fiscais para aplicar golpes contra empresários



Polícia Civil prende suspeitos que se passavam por fiscais para aplicar golpes contra empresários

 

 

Em um dos casos, o grupo criminoso exigiu da vítima a quantia de R$ 4 mil, para que não lavrasse uma suposta multa, contra um empreendimento.

 

A Polícia Civil prendeu nesta quarta-feira (23/09), duas pessoas suspeitas de integrarem uma associação criminosa, em Inhumas, na Região Metropolitana de Goiânia. Os indivíduos se passavam por agentes de segurança pública para praticar estelionato contra empresários da cidade. A situação foi descoberta após a denúncia do proprietário de um empreendimento.

 

Segundo o delegado Miguel Mota, a vítima relatou que um dos suspeitos esteve em sua obra, dizendo ser policial e fiscal ambiental do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama). “Esse indivíduo usava uma máscara da corporação, tirou algumas fotos e apresentou um documento. Disse que o empreendimento apresentava algumas irregularidades, que isso faria com que a obra fosse embargada e que ele receberia uma multa muito grande”, afirmou.

 

O suspeito exigiu do empresário o pagamento em espécie da quantia de R$ 4 mil, para que não lavrasse a multa e para que pudesse regularizar a suposta licença ambiental. A vítima, desconfiada, decidiu procurar a polícia e denunciar a situação. “Nós suspeitamos e confirmamos posteriormente, que esse indivíduo não integrava nenhuma força de segurança pública e estava tentando praticar um estelionato contra esse empresário”, explicou.

 

No decorrer das investigações, a Polícia Civil descobriu que o indivíduo fazia parte de uma Organização Não Governamental (ONG) ambiental e se valia dessa condição para praticar os crimes. “Há indícios de que ele tenha tentado praticar esse estelionato contra outros empresários daqui da cidade, que trabalham com construções. Nós descobrimos também que esse indivíduo não agia sozinho, ele integrava uma associação criminosa”, pontuou.

 

Nesta quarta-feira, o suspeito voltou ao local da obra, para recolher o valor exigido e foi surpreendido com os policiais, que o abordaram. Ele foi preso em flagrante. Outro indivíduo, apontado como o chefe do grupo criminoso, foi detido em casa. Com a dupla, os policiais apreenderam quantias em dinheiro, documentos, carteiras com identificação de membros da ONG, além de uma farda com feições militares, que era utilizada para tentar induzir as vítimas. Eles deverão responder por associação criminosa e tentativa de estelionato. Outros membros do grupo já foram identificados e também deverão ser indiciados, ao final das investigações.

 

O delegado fez um alerta e orientou as pessoas que possam ter sido vítimas do golpe, para que denunciem às autoridades competentes. “Esses indivíduos de ONGs não tem nenhum poder de polícia, não tem poder de fiscalização e sequer podem entrar no estabelecimento sem a autorização do proprietário. Caso alguém tenha sofrido alguma tentativa de estelionato por parte desses indivíduos, tome a mesma atitude que essa vítima, que nós tomaremos as devidas providências, se for o caso até com a prisão em flagrante, como ocorreu nesse caso”, concluiu. 




NOTÍCIAS RELACIONADAS

POLÍCIA Peixe símbolo de pescarias, pintado entra para lista de animais ameaçados de extinção no Brasil Inclusão da espécie é questionada pelo governo de Mato Grosso do Sul, destino popular entre pescadores
POLÍCIA Em Itapaci, empresário é preso suspeito de manter relações sexuais com criança de 11 anos SUSPEITO - Nesta terça-feira (17), a Policia Civil (PCGO) por meio da Delegacia de Policia de Itapaci, cumpriu mandado de prisão preventiva em desfavor de empresário do ramo de motéis na cidade de Itapaci pelo crime tipificado no artigo 217-A do CPB.
POLÍCIA Duas pessoas são presas após furto de mais de 1 tonelada de queijo no Assentamento Santa Marta, em Mundo Novo CRIME - A Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia de Nova Crixás, e com o apoio da Regional de Ceres, deflagrou, na terça-feira (26), a Operação Salmoura, com o objetivo de cumprir mandado de prisão temporária e mandados de busca e apreensão domicil
EDIÇÃO IMPRESSA
COLUNISTAS E ARTICULISTAS


EXPEDIENTE
(62) 98310-3817 Redação
(62)99819-1345 Colunas
contato@imprensadocerrado.com.br

Praça Inácio José Campos Qd. 15-S - Centro.
CEP: 76.510-000 - Crixás - Goiás