Ir para a Home
Segunda-Feira, 22 de Abril de 2024

Vereador Fernando cobra reunião urgente da Câmara para discutir desvio de mais de R$ 6 milhões da Prefeitura de Crixás



Vereador Fernando cobra reunião urgente da Câmara para discutir desvio de mais de R$ 6 milhões da Prefeitura de Crixás

O vereador Fernando de Igreja (MDB) solicitou ao presidente da Câmara Municipal, Maurinho do Pit Dog, na noite desta quarta-feira (26/01), para que ocorra urgentemente a convocação de todos os vereadores, para uma reunião extraordinário para tratar sobre o suposto desvio de mais de R$ 6 milhões de reais de dinheiro público que estavam na conta do executivo.

 

Diante da gravidade do fato, o vereador cobra do presidente, uma reunião imediata, para discussão do assunto e apresentação de medidas cabíveis a serem tomadas pelo legislativo além de uma resposta ao povo de Crixás.

 

O vereador postou em suas mídias sociais e em grupos do whatsapp o texto onde cobra a reunião com todos os representantes do legislativo.

 

Entenda o caso

Mais de R$ 6 milhões foram desviados nesta terça-feira (25) dos cofres da prefeitura de Crixás, município do Noroeste de Goiás, por estelionatários por meio do Pix, um meio eletrônico não adotado pela gestão municipal que tem à frente o prefeito Carlos Seixo de Brito Junior (Cidadania).

 

A notícia foi confirmada pelo procurador jurídico local, Tayrone Guimarães, que já acionou a Polícia Civil e a gerência regional do Banco do Brasil. De acordo com o procurador jurídico, um homem dizendo se chamar Fernando de Oliveira, se identificando como gestor do suporte de rede do BB, ligou para o secretário de Finanças, Jovael Maciel da Luz, com informações detalhadas sobre a conta da prefeitura e sobre as senhas cadastradas junto à agência. “Era uma pessoa bem articulada, que induziu o secretário a fazer alterações nas chaves.” A prefeitura só tomou conhecimento das transações no período da tarde quando a gerente regional de suporte de rede do BB notou que algo estava errado.

 

Jovael Maciel da Luz soube da fraude ao ser comunicado que não havia nenhum Fernando de Oliveira no quadro funcional da agência. Foram 12 transferências para três pessoas que totalizaram R$ 4,6 milhões. “É o que conseguimos apurar até agora porque as contas estão bloqueadas para a prefeitura. Já sabemos os nomes dessas pessoas, mas não as contas e os CPFs”, relata Tyrone Guimarães. A Secretaria de Finanças de Crixás nunca utilizou Pix como meio de pagamento.




NOTÍCIAS RELACIONADAS

JUSTIÇA Justiça Condena Prefeito Paraíba da Farmácia por Improbidade Administrativa em Nova Crixás O Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) encerrou o caso de improbidade administrativa envolvendo o prefeito de Nova Crixás, Lázaro Valdivino da Silva (Paraíba da Farmácia). O Ministério Público de Goiás (MP-GO) denunciou o prefeito por doar lotes do municíp
JUSTIÇA A pedido do MPGO, empresas contratadas Ilegalmente pelo município de Barro Alto tem bens bloqueados Acolhendo ação proposta pelo Ministério Público de Goiás (MPGO), a Justiça determinou o bloqueio de bens de duas empresas beneficiadas por licitações irregulares, que tinham como objetivo a contratação para oferta de produtos hortifrutigranjeiros destinad
JUSTIÇA Gestão Rumennigge Dietz é destaque a frente da OAB/Crixás GESTÃO - Desde sua posse em janeiro do ano passado para o triênio 2022-2024, o dedicado advogado Rumennigge Pires Dietz tem demonstrado sua habilidade e comprometimento na condução da subseção de Crixás da Ordem dos Advogados do Brasil - Seção Goiás (OAB-
EDIÇÃO IMPRESSA
COLUNISTAS E ARTICULISTAS


EXPEDIENTE
(62) 98310-3817 Redação
(62)99819-1345 Colunas
contato@imprensadocerrado.com.br

Praça Inácio José Campos Qd. 15-S - Centro.
CEP: 76.510-000 - Crixás - Goiás