Ir para a Home
Domingo, 23 de Junho de 2024

Em Santa Terezinha de Goiás, justiça determina fim da greve e retorno dos professores da rede Municipal de ensino



Em Santa Terezinha de Goiás, justiça determina fim da greve e retorno dos professores da rede Municipal de ensino

 

 

Decisão foi publicada nesta segunda-feira, 25, e impõe multa diária de R$ 50 mil em caso de descumprimento. Para judiciário, greve dos professores é ilegal

 

O Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) considerou nesta segunda-feira, 25/04, que a greve dos professores da Rede Municipal de Santa Terezinha de Goiás é ilegal e, por isso, determinou o fim da paralisação e o retorno dos docentes às aulas, que estão suspensas desde o 19 de abril. A decisão liminar é do desembargador Carlos Escher e atende ao pedido da Prefeitura de Santa Terezinha de Goiás em face do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais do município de Santa Terezinha de Goiás (SINDTEREZINHA). Em caso de descumprimento, o judiciário impôs multa diária de R$ 50 mil.  

 

O magistrado entende que o movimento grevista é ilegal porque a pauta de reivindicação do SINDTEREZINHA em relação ao Piso Nacional já foi atendida, conforme protocolo do Projeto Municipal de Lei n° 046/2022, de 11 de abril. Além disso, o SINDTEREZINHA não possui registro sindical, sendo parte ilegítima para atuar na defesa dos interesses dos servidores, razão pela qual a greve ora instituída em assembleia do dia 18/04/2022 é nula, não podendo surtir efeito algum. 

 

Sustenta também que conforme o art. 11 da lei n° 7.783/99 que os sindicatos devem garantir no mínimo, durante a greve, a prestação dos serviços indispensáveis ao atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade, motivo pela qual seria necessária a manutenção de pelo menos 80% dos trabalhadores em atividade, o que não se verificou, concluindo que o atendimento aos alunos está totalmente paralisado, prejudicando o já tão desgastado aprendizado das crianças e jovens. 

 

“Sempre procuramos andar ao lado da lei, pois desde o inicio foi intenção minha, como prefeita, dar aumento aos professores. Contudo, 33% o município de Santa Terezinha não teria como arcar com esse aumento. A prova que somos cumpridores da lei foi esta liminar hoje dando razão ao nosso Município”, disse Karla Moreira. 




NOTÍCIAS RELACIONADAS

JUSTIÇA Ex-prefeito de Campos Verdes tem bens penhorados para pagar dívidas trabalhistas O ex-prefeito de Campos Verdes, Vilmar José Correa, teve dois imóveis urbanos penhorados em cumprimento de um mandado judicial.
JUSTIÇA Justiça Condena Prefeito Paraíba da Farmácia por Improbidade Administrativa em Nova Crixás O Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) encerrou o caso de improbidade administrativa envolvendo o prefeito de Nova Crixás, Lázaro Valdivino da Silva (Paraíba da Farmácia). O Ministério Público de Goiás (MP-GO) denunciou o prefeito por doar lotes do municíp
JUSTIÇA A pedido do MPGO, empresas contratadas Ilegalmente pelo município de Barro Alto tem bens bloqueados Acolhendo ação proposta pelo Ministério Público de Goiás (MPGO), a Justiça determinou o bloqueio de bens de duas empresas beneficiadas por licitações irregulares, que tinham como objetivo a contratação para oferta de produtos hortifrutigranjeiros destinad
EDIÇÃO IMPRESSA
COLUNISTAS E ARTICULISTAS


EXPEDIENTE
(62) 98310-3817 Redação
(62)99819-1345 Colunas
contato@imprensadocerrado.com.br

Praça Inácio José Campos Qd. 15-S - Centro.
CEP: 76.510-000 - Crixás - Goiás